Lamentos

Ainda sinto os escombros por sobre os ombros, ainda me dói à carne esfolada e os ossos quebrados, mal me resta forças para suplicar socorro, mal posso esticar os dedos dos pés, estou estirado em praça pública, esmagado pelas estruturas que minhas próprias mãos construíram. Hoje, meus inimigos zombam e com razão. Meus muros beijaram o pó. Meu céu está no chão.

De minha alma, não mais sobrou pedra sobre pedra, sou casa de desonra, cidade sitiada e desprovida de muros, sou a Jerusalém das lamentações, em mim, está sepultado o sonho do imperador, lamento, mas nesse reino nunca mais se ouvirá o tocar das trombetas e o soar das flautas, sem marchas, sem passeatas, sem festas no pátio central…

O caos se alastrou, as torres fortes estão estraçalhadas, não mais se faz útil os trabalhos dos vigias, os atalaias, aos poucos, percebem que sua função é desnecessária diante desse contexto de morte e desolação.

Dentro dos muros calaram-se os tambores, acabou-se a euforia das danças de roda, meu povo não bate mais palmas, cessaram-se os gritos dos mercadores, as feiras estão vazias, apenas um cenário de destruição por toda a parte.  O que sobrou dos muros, agora serve de memórias fúnebres, são como lençois nos quais jovens, crianças, adultos e velhos enxugam suas lágrimas.

Nada mais resta da grande cidade de ouro, o grande templo jaz em ruínas, nem de longe lembra a glória do passado, junto com as palavras dos profetas mortos por ti, morrerás,vitima da própria arrogância, vitima dos ouvidos que não quiseram escutar. E tu o sabes, que Ele te amou, te protegeu como um Pai que protege sua filha, cuidou de ti, como mãe, como Rei que guarda seu povo, como a galinha que ajunta os pintinhos  sob as assas. Mas, tu te negaste a aceitar, e hoje, a escada de Jacó que ligava a terra ao céu, por este tempo, não mais servirá de ponte entre o teu Deus e vós, até que se cumpra a promessa, e tu entendas que por mais que fuja do teu chamado, antes de escolhê-lo, Ele já havia escolhido vós.

Chora, ó Jerusalém!

Chora!

Velho Marujo

2 Respostas para “Lamentos

  1. O que é triste é que a Terra, outrora Santa, hoje seja dominada pela intolerância.

    Não a muçulmana- o muçulmano historicamente é tolerante, tanto que foi apenas sob domínio muçulmano (tendo sido expulsos os cristãos) que os judeus puderam ter as portas de Jerusalém reabertas para si.

    A intolerância, penso eu, vem dos sionistas. Considerar-se um “povo eleito” (sic) é sempre se achar melhor que os outros.

    E isso é racismo puro.

  2. Tejo,

    Entendi o seu ponto de vista, e inclusive será tema do próximo post (valeu pela inspiração). Realmente, se analisarmos friamente, tem muita coisa na história do povo judeu que precisa ser revisto.

    .Soli Deo gloria

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s