Dance

Viva a vida com dança, baile aos pés daquele que lhe formou, dance… Em meio às guerras e lastimas de um mundo sombrio, ilumine-o com tua dança, ilumina-te a si mesmo. Dançar, assim como cantar, são verdadeiros luminares da alma, pessoas que são capazes de ainda dançarem neste planeta em constante decadência, são capazes de provocar o inestimável, alegrar corações, encantar olhares antes perdidos.

Encontra-te a si mesmo.

A cada movimento, a cada esticar de braços, a cada salto… Leve a vida na leveza de teus passos, e passeie por ela… Tudo pode ser mais vivo e belo se as pessoas souberem dançar e cantar em meio à guerra. Quão linda é a vida daqueles que dançam, cantam e que vivem o segundo, os minutos, as horas, pois os dias já não cabem mais neste contexto, o futuro é um mero esperar, é o bocejar de uma criança, longo, longo… Parece eterno para quem de longe admira.

Dançar, espreguiçar-se, estique-se…

Teus ossos não durarão mais um milênio, teu corpo irá se findar antes da consumação dos séculos, tua vida ficará mais lenta, teu andar ficará mais lento e os dentes cada vez mais amarelos, por isso, dance… Dance em tua mocidade, na tua adulta meninice, por mais rugas que o tempo tenha lhe premiado, a criança que habita em ti jamais envelhecerá, a alma é a eterna solidez da juventude, a vida vale este momento e este momento vale uma vida.

Sei que dirás estar velho demais para se divertir tanto assim, que nada, a maior bobeira dos homens foi ter inventado está “pratica” vida moderna, onde temos sempre a sensação de estarmos sendo vigiados, e que olhares pecaminosos nos julgarão pelos feitos impensados. Besteira. Quer saber, deixe de ser bobo, arraste os móveis da sala e dance, dance, sozinho ou acompanhado, como se está fosse tua última valsa, teu último samba, o último soul… Convide os vizinhos, faça uma festa, abrace teu amor, pois do outro do outro lado para onde todos irão, talvez não haja mais nem música, nem dança. Apenas o silêncio…

Dance!

Velho Marujo

Uma resposta para “Dance

  1. Finalmente o velho voltou!

    Lindo texto meu chapa. Dançar em meio a guerra, grande lição. Dançar em meio a solidão, às vezes nos falta coragem. Pensamos ser bobo nessa hora, mas bobos somos quando corremos na desenfreada loucura da vida e quando damos conta de quem nem a sentimos a valsa acabou.

    Demorou! Voltou! Mas mostrou mais uma vez pq és o velho marujo. O grande amigo meu. Paz man!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s